Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pediu à Justiça o desmonte do acampamento 300 do Brasil, de apoiadores de Jair Bolsonaro em Brasília, e colocou a ativista Sara Winter com ré na ação 

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) ajuizou ação civil pública na Justiça pedindo o desmonte do acampamento de apoiadores de Jair Bolsonaro na capital federal.  

O MPDFT chama o grupo de “milícia armada” e colocam como ré na ação a porta-voz do acampamento, a ativista Sara Fernanda Giromini, que se autodenomina Sara Winter.  

Na ação,  os promotores de Justiça Flávio Augusto Milhomem e Nísio Tostes Filho também pedem uma revista de seus integrantes para verificar se há armas de fogo com os manifestantes e a busca e apreensão de armas em situação irregular. 

Segundo reportagem da BBC Brasil, Sara Winter admitiu que o acampamento tem armas de fogo. 

O grupo prega o “extermínio da esquerda” e vem ameaçando invadir o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) para defender o governo Jair Bolsonaro. 

Fonte: brasil247