© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Adapte-se ao Futuro: Entenda as Novas Regras de Aposentadoria em 2024 e Escolha a Melhor Transição para Você

Para aqueles que estão ansiosos para se aposentar, é crucial entender as implicações das recentes mudanças nas regras previdenciárias que entrarão em vigor em 2024. As reformas, em especial as regras de transição, destinam-se a indivíduos que já estavam no mercado de trabalho antes de 13 de novembro de 2019 e contribuem para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Anualmente, as contas para a aposentadoria são atualizadas de acordo com as disposições da reforma.

Uma das opções disponíveis é a aposentadoria pelo sistema dos pontos. Em 2024, para as mulheres, são necessários 91 pontos, com pelo menos 30 anos de contribuição. Já para os homens, a marca é de 101 pontos, com 35 anos no sistema do INSS. Importante ressaltar que os tempos mínimos de contribuição no INSS permanecem inalterados.

Esses pontos aumentarão anualmente. Em 2025, por exemplo, as mulheres precisarão atingir 92 pontos, enquanto os homens, 102. Essa regra de transição estende-se até 2035, quando as mulheres deverão alcançar 102 pontos e os homens, 105.

Outra opção de aposentadoria é por idade mínima, destinada àqueles que não atingem os pontos, mas possuem o tempo de contribuição necessário. A partir do próximo ano, serão necessários 58 anos e 6 meses para mulheres e 63 anos e 6 meses para homens. Essas idades aumentarão semestralmente, atingindo 62 anos para mulheres em 2031 e 65 anos para homens a partir de 2027.

Além disso, há as regras de transição conhecidas como “do pedágio”, que permanecem inalteradas em 2024. Estas se aplicam a pessoas que estavam prestes a se aposentar. No caso do pedágio de 50%, a pessoa estaria a dois anos da aposentadoria, exigindo pelo menos 28 anos de contribuição para mulheres e 33 para homens. Essa regra implica que a pessoa deverá trabalhar por mais metade do tempo que faltava para a aposentadoria.

Para o pedágio de 100%, homens precisarão ter 60 anos de idade, e mulheres, 57. Se faltarem dois anos para a aposentadoria, por exemplo, os trabalhadores teriam que permanecer mais quatro anos no serviço. As regras de transição são cruciais para quem está prestes a encerrar sua vida profissional, e é fundamental compreender as mudanças que serão implementadas em 2024.