Em dezembro, na sede Santa Rita do Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis (PNMMT), através da iniciativa do setor de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente (SMA), junto aos apoios e parcerias, foi realizado um evento para a comunidade do entorno da sede que teve como principais temas Resíduos Sólidos, Sustentabilidade e Geração de Renda.

O evento foi uma culminância de um processo de trabalho que iniciou a partir dos debates nos espaços do Conselho Consultivo do Parque Montanhas em relação ao problema da desorganização do lixo em um local muito próximo do entorno da sede Santa Rita. Como forma de ouvir os moradores e torná-los parte da mudança, no mês de novembro um Porta a Porta foi desenvolvido a fim de compreender a realidade local em relação a coleta e finalidade do lixo no bairro, explicar a respeito da possibilidade de contribuição para a Coleta Seletiva através do Recicla Terê e convidá-los para o evento Natureza Sem Lixo em Santa Rita.

A programação do evento aconteceu em parceria com os projetos contemplados pelo fundo de meio ambiente – Educando com o Aurita e Ecomóvel -, PNMMT, Projeto Sala Verde e Programa Recicla Terê da SMA. Contou também com o apoio de artistas, artesãos e feirantes que enriqueceram o evento com seus produtos e experiências relacionadas a reutilização, sustentabilidade e geração de renda. Ateliê AlêRodrigues, Tal Permacultura, Sítio Araucária e o artista plástico Luis Henrique foram os principais apoiadores.

Café da manhã comunitário, roda de conversa, oficinas de compostagem com o Tomé da Tal Permacultura e de artesanato com materiais reutilizados com a Alessandra Rodrigues do Ateliê AlêRodrigues, foram as principais atrações do dia. O Tomé expôs sobre maneiras ecológicas de reaproveitamento de resíduos orgânicos através do sistema de banheiro seco e sistema de composteira doméstica de madeira. Alessandra apresentou formas de reutilização de resíduos recicláveis de uso comum através de confecções artísticas destes materiais, sendo uma importante alternativa de geração de renda. Ao final, os produtos dos trabalhos foram sorteados aos participantes.

 “Pessoas comprometidas com o meio ambiente no evento me deixaram mais esperançosa de que a humanidade está realmente preocupada com a natureza e tentando plantar a semente do trabalho colaborativo para salvá-la”, disse Alessandra Rodrigues, Professora de Artes e Artesã do Ateliê Alê Rodrigues.

O evento foi um importante passo na identificação dos fatores envolvidos na problemática dos resíduos sólidos. Foi o início de uma construção dialógica com a comunidade sobre a temática. Observamos problemas relacionados ao espalhamento do lixo por animais domésticos e a necessidade de soluções físicas e de informação para a gestão adequada dos resíduos. Neste sentido a oficina de compostagem ministrada pela TAL contribui para que os cidadãos possam gerir sua fração orgânica por conta própria. Com uma coleta freqüente e adequada dos rejeitos e recicláveis é importante a nova lixeira conter coletores para: orgânicos compostáveis (restos de comida e jardinagem); recicláveis (papel, plástico, metal, vidro); volumosos (entulho e móveis); eletroeletrônicos; e outros (aterro). Ações contínuas, acompanhadas de boa informação e garantindo o diálogo com a comunidade, garantem bons resultados”, ressaltou Tomé Lima, Eng. Ambiental, consultor pela empresa TAL Permacultura e produtor orgânico no Sítio Flor de Vento situado em Santa Rita.

“Eventos como esse nos ajudam a compreender melhor as realidades locais, além de incentivar o interesse, participação e cuidado das pessoas com seu território. Além disso, acreditamos que a partir desta mobilização iremos conseguir proporcionar efeitos positivos em relação à organização do lixo no início do deste ano”, pontuou Victória Canto, Coordenadora do Setor de Educação Ambiental da SMA