O público aplaudiu de pé o espetáculo de louvor e devoção da Folia de Reis Estrela Guia, realizado no último sábado, dia 06 de janeiro, na Casa de Cultura Adolpho Bloch. Com trajes e acessórios típicos, entoando versos e fazendo reverência ao presépio, o grupo de cantadores e instrumentistas lembrou a visita dos reis magos ao menino Jesus nesta tradicional festividade cultural religiosa, demonstrando o motivo de ter sido contemplado pela segunda vez com o prêmio de R$ 15 mil no edital ‘Folia RJ 2023’, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.  

“A Gestão do Prefeito Vinicius Claussen valoriza e dá total apoio a esta manifestação cultural. Parabenizo a Folia de Reis Estrela Guia por ter sido premiada e por manter viva a tradição em Teresópolis desde a sua fundação, no dia 08 de dezembro de 1982”, frisou Yára da Rocha Medeiros, secretária municipal de Cultura, que prestigiou a apresentação junto com sua equipe.

A plateia não desgrudou os olhos do palco, acompanhando cada movimento dos fervorosos foliões de azul. “É uma tradição com um significado muito profundo nos versos, melodia e gestual. Maravilhoso!”, opinou o médico Alexandre Costa, morador de Agriões. Passando o fim de semana em Teresópolis, os cariocas Pedro Prata e Alessandra Ribeiro Prata, de Copacabana, ficaram encantados. “Uma apresentação muito interessante, que mostra uma tradição que vem se perdendo ao longo do tempo”, comentou Pedro. “Muito bom o grupo ter ganhado o prêmio da Secretaria Estadual de Cultura, um incentivo ao resgate dessa celebração”, completou Alessandra.

Tradição familiar: A Folia de Reis Estrela Guia é uma tradição que vem sendo mantida viva pela família do mestre Reginaldo da Silva Lopes. Filho de Francisco de Lima Lopes, mestre de Folia de Reis na década de 1950, Reginaldo ficava deslumbrado ao ouvir o tio contar histórias sobre como era a folia de seu falecido pai. O desejo de dar continuidade cresceu no seu coração e hoje a família se mantém unida nas apresentações.  

“Completamos 41 anos em dezembro e sempre participamos das apresentações da Secretaria Municipal de Cultura nas praças e nos encontros de Folias de Reis. Esse é o nosso terceiro ano seguido na Casa de Cultura e foi muito bom sentir o calor do público. Comecei a cantar aos 16 anos, no ano seguinte saí tocando cavaquinho; no outro, bandolim, e estamos até hoje. Os integrantes mais antigos já faleceram, mas minha esposa, meus filhos, netos, irmãos e sobrinhos estão todos aqui”, relembrou o mestre Reginaldo.

“A Folia de Reis Estrela Guia resiste e mantém viva essa manifestação popular na cidade, de geração em geração. Que a alegria da nossa cultura possa reverberar”, concluiu Mariana Victória, diretora da Casa de Cultura Adolpho Bloch.

Crédito: Bruno Nepomuceno.