Foto de Christopher Burns

O Estado do Rio de Janeiro experimentou um notável aumento no interesse de empresas industriais em estabelecer ou expandir suas operações, revelou a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin). Comparado a 2022, o número de indústrias interessadas cresceu significativamente, atingindo uma impressionante taxa de 33% no ano passado.

A Codin aprovou solicitações de incentivos fiscais de 123 empresas industriais durante o período, tornando-as elegíveis para usufruir desses benefícios em todo o território fluminense. Esse avanço foi recebido com entusiasmo pelo governador Cláudio Castro, que afirmou que o Estado do Rio está se tornando cada vez mais atrativo para empresários e empreendedores.

“Trabalhamos continuamente para fomentar novos investimentos, incentivar a economia e impactar positivamente a qualidade de vida da nossa população”, destacou o governador Castro.

Em paralelo, a Codin registrou um aumento notável de 84% no número total de processos por benefícios fiscais em 2023, comparado ao ano anterior. Isso reflete o compromisso em impulsionar a atividade empresarial e atrair investimentos, tanto de empresas nacionais quanto internacionais.

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, Vinicius Farah, ressaltou a importância dos incentivos fiscais como um estímulo aos investimentos, sinalizando que o Rio de Janeiro é o destino certo e confiável para negócios que contribuirão para a geração de empregos e renda para os fluminenses.

Os resultados dessas iniciativas são animadores para a população fluminense, com a previsão de 6.600 novos empregos com carteira assinada e um investimento total de aproximadamente R$ 2 bilhões nos próximos cinco anos. Esse montante representa uma média de R$ 14,5 milhões aplicados por empresa.

O presidente da Codin, Fábio Picanço, comemorou o avanço expressivo, destacando a dedicação da equipe e reforçando o compromisso de conquistar novos sistemas de gestão de conformidade (compliance) em 2024 para aumentar ainda mais a eficiência da organização.

Quanto aos setores beneficiados, o atacadista liderou as atividades dos empreendimentos que tiveram seus pleitos por incentivos deferidos em 2023, seguido pelos estabelecimentos industriais em geral, empresas farmacêuticas e reciclagem. Destacaram-se também negócios nas áreas de pescados, energia, naval e metal mecânico, evidenciando a diversificação dos setores impulsionados pelo apoio do governo estadual. Este último setor, aliás, viu seu incentivo aprovado pela primeira vez após a declaração de constitucionalidade da Lei 8960/20 pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que concede benefícios ao polo metalúrgico fluminense.