Foto de Wolfgang Hasselmann na UnsplashFoto de Wolfgang Hasselmann na Unsplash

A situação da dengue no Rio de Janeiro é alarmante, com 17.437 casos prováveis nas primeiras quatro semanas de 2024, em comparação com 1.441 no mesmo período do ano anterior. O boletim Panorama da Dengue, divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ) nesta quarta-feira (31), revela uma preocupante taxa de incidência.

O estado registrou duas vítimas fatais até o momento: uma mulher de 98 anos em Itatiaia, na região serrana, e um homem de 33 anos em Mangaratiba, na Costa Verde. Quatorze municípios têm taxa de incidência acima de 500 casos por 100 mil habitantes, com a doença se espalhando mais rapidamente em cidades menores e próximas a Minas Gerais e São Paulo.

A região serrana apresenta um aumento de 14 vezes no número de casos esperados, enquanto na região metropolitana o aumento é de dez vezes. Na Baía de Ilha Grande e no Centro-Sul Fluminense, a incidência é nove vezes maior. O Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ) processou 4.464 testes na terceira semana epidemiológica, indicando uma alta taxa de positividade de 33%.

A secretária de Estado de Saúde, Claudia Mello, alerta que, embora historicamente os casos aumentem no final do primeiro trimestre, a antecipação dessa curva de crescimento é um sinal de alerta. O governo estadual lançou o programa Gov.RJ contra a Dengue Todo Dia!, incluindo medidas como compra de equipamentos, treinamento de profissionais de saúde e a possibilidade de converter leitos hospitalares para tratamento da dengue, caso necessário. A população é instada a evitar a automedicação e buscar atendimento médico aos primeiros sintomas, principalmente febre.

Esses números são um chamado à ação e à conscientização de toda a população carioca. A luta contra a dengue é responsabilidade de todos nós.

Texto: DG1
Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br
Foto de Wolfgang Hasselmann na Unsplash